Rodrigo Manga de viciado a Prefeito de Sorocaba

Apresentado como um jovem empresário que caiu no mundo das drogas, onde chegou a perder 30 veículos para pagar pelo seu vício, e que deu a volta por cima até chegar à presidência da Câmara de Vereadores de Sorocaba e hoje prefeito da cidade. Manga contou que começou na maconha, passou pela cocaína, LSD, anfetaminas e chegou ao crack.

O vício em drogas é um problema pessoal e da família do viciado até o momento, como são cracolândias e suas variações, invade o espaço público e coloca em risco a vida do cidadão comum. Ai o Estado ou Município precisa agir, mas sem demagogia e sem marketing, com políticas públicas tratando o viciado como ele é, ou seja, um doente.

Existem diferentes tipos de drogas e são diversas as suas implicações na vida das pessoas e na estrutura familiar, as alternativas de tratamento e a importância do trabalho das redes de apoio para recuperação dos usuários é de extrema importância.

Rodrigo Manga sempre destacou nas audiências públicas detalhes sobre a criação de uma nova Secretaria municipal de dependência química, para ajudar a cidade a fazer uma reconstrução da rede de tratamento de dependentes. “Existem muitas pessoas nas ruas, muitas famílias sofrendo com isso. O Poder Público precisa entender por que as pessoas usam drogas e como podem deixá-las.”

HOJE 25/06/2021 PREFEITO DE SOROCABA RODRIGO MANGA E O PRESIDENTE BOLSONARO

Eu sofro muita discriminação em redes sociais sobre um passado que nunca me deu orgulho, mas, por outro lado, me trouxe uma grande experiência no assunto, e esse obstáculo do passado hoje transformo em trampolim para ajudar o próximo no caminho para uma nova vida.

Foi feito um mapeamento e foi constatado que somente em Sorocaba, já existem 51 pontos de minicracolândia e que, algum desses pontos, fazem divisa com a cidade de Votorantim. “Um exemplo é nas proximidades do bairro Barcelona. Lá, os usuários possuem um lugar que deram o nome de bosteiro e é nesse espaço que utilizam o entorpecente”, comenta Rodrigo Manga.

Manga também diz que a intenção da liberação é para desafogar o sistema prisional. “A ideia é esvaziar os presídios. Mas, se liberarem, haverá um esvaziamento das cadeias, mas superlotará os cemitérios”, prevê. Ele afirma que a liberação favorecerá que mais pessoas passem a consumir os entorpecentes.

Com experiência própria, por ter sido usuário de drogas, o Prefeito  explica que a prevenção é o melhor caminho. “A porta de entrada para esse universo é através do consumo de bebidas alcoólicas, depois experimenta a maconha, se tornando uma doença progressiva”. Um dos planos é trazer para a região um hospital especializado em desintoxicação. “Dessa forma, é realizada uma internação de 15 a 20 dias, que é o tempo de o usuário desintoxicar e aí, é perguntado se aceita fazer um tratamento”, comenta. Rodrigo Manga parou de fazer uso de entorpecentes com o auxílio religioso.

Seria de grande apoio aos Munícipes de São Caetano a prefeitura com recurso Público ter uma Chácara ou casa de apoio para o tratamento dos dependentes químicos e Alcoólicos, porque sabemos que esse problema afeta muitas famílias de nossa Cidade.

Vagner Stecker

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s