SCS: Faltam políticas para população em situação de vulnerabilidade

Ao caminhar pela cidade de São Caetano principalmente a noite, a impressão é de que houve um aumento da população em situação de rua desde a chegada da pandemia do novo coronavírus, e com a chegada do inverno fica mais complicada a situação dos que vivem e também os que acabaram virando novos desabrigados.

HISTÓRIA MAL CONTADA.

A Prefeitura de São Caetano do Sul não tem um plano de Contingência para Situações de Baixas Temperaturas que visa o acolhimento de moradores de rua, mas na campanha do ex prefeito Auricchio dia 8/06/2020 foi colocado a disposição dos moradores de rua um local para o acolhimento, mas infelizmente foi somente propaganda de campanha eleitoreira, porque não existe mais esse abrigo.

O local funcionaria 24 horas, com capacidade para até 30 pessoas, que seria encaminhada pelo Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social)”, explicava o ex José Auricchio Júnior na época e conforme a secretária municipal de Assistência e Inclusão Social, Marisa Catalão, o espaço contava com dormitórios, espaço de convivência (sala de TV), refeitório e vestiário. “Em parceria com a ONG AEVida. QUANTO FOI GASTO NESSE PROJETO? E, PORQUE NÃO DERAM CONTINUIDADE? SERÁ QUE TEVE DESVIO DE DINHEIRO PÚBLICO PARA CAMPANHA? APESAR DE A VIA VAREJO (CASAS BAHIA) DOAR CAMAS E COLCHÕES PARA EQUIPAR O ESPAÇO.

Como podemos ver no edital lançado em junho de 2020 o valor de quase um milhão de reais foi repassado para essa ONG Vida em Movimento. PARA ONDE FOI GASTO TANTO DINHEIRO SE A CASA DE APOIO PRATICAMENTE NÃO FUNCIONOU COMO DEVERIA?

FOTO DE CAMPANHA.

SOLUÇÃO EM CURTO PRAZO.

A prefeitura de São Caetano deveria ter um programa que prevê a abordagem a moradores de rua expostos ao tempo frio e chuvoso, quando necessário com acolhimento voluntario e nunca forçado.

O que deveria ser feito, é uma operação de acolhimento da Prefeitura de São Caetano ao longo do dia, intensificar as abordagens pelo Serviço de assistência social em pontos estratégicos da cidade onde os moradores em situação de rua mais se concentram.

Além do acolhimento, ter um objetivo do plano é zelar pela segurança e bem-estar da população em situação de rua, promovendo a saúde e bem-estar de adolescentes, adultos, idosos nos dias mais frios do ano, isso é o mínimo que a assistência social da cidade poderia fazer, já que seu papel é zelar pela saúde de todos.

PROJETOS QUE DEVERIA SER IMPLANTADO NA ASSISTÊNCIA SOCIAL DA CIDADE.

CRIAÇÃO DE UM CENTRO DE ACOLHIMENTO REFERÊNCIA, PARA PESSOAS EM SITUAÇÃO DE RUA E FAMÍLIAS EM CASOS DE VULNERABILIDADE,

Automóvel volante para acolhimento» Triagem e acompanhamento individual» Alimentação, corte de cabelo e local para banho» Atendimento médico, psicológico e odontológico» Aluguel Social no caso de famílias em vulnerabilidade» Encaminhamentos para clínicas de recuperação (para os casos de dependentes químicos)» Capacitações e reinserção no mercado de trabalho» Passagens de retorno para suas cidades locais de origem.

Em um momento em que se discute a temática de Direitos Humanos, e o cumprimento das Metas do Milênio, precisamos apresentar trabalho construído a muitas mãos e mentes, com o intuito de fazer despertar consciência humana e iluminar caminhos e mobilizar toda a sociedade para a condição das pessoas que se encontram em situação de rua e famílias que hoje precisam da ajuda de todos, inclusive do órgão público, assim transformando nossa sociedade mais equilibrada e justa a todos.

Vagner Stecker

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s